Arquivo do mês: janeiro 2011

Capixaba

Amanhã estou indo trabalhar no Espírito Santo e vou procurar coisas boas para trazer. Conto na quinta…

Anúncios

Tardes agradáveis

E não é que o Samba na Varanda deu muito certo?

Olha a pinta da Juju (e do seu mic retrô) no meio do furdunço.


Segundo mandato

A boa da semana:

Elaine, após merecidas férias, volta ao café.

As sextas são dela. Anotem e reservem, porque ela tem fãs (fiéis) até no Tibet.


Por ser de lá

Adoro o Nordeste. Sempre me senti bem lá, em qualquer paisagem.

Andei bem pelo litoral, mas hoje, com algumas reportagens que ando fazendo, tenho a oportunidade de conhecer melhor o sertão. E tenho adorado o clima, as pessoas e a vocação do sertanejo para ser reto e ao mesmo tempo muito gentil.

Pois bem, depois de uma semana sensacional no Sol, com grandes festas e shows, domingo embarquei para Juazeiro do Norte, região do Cariri, no Ceará. Ali foi minha base, mas andei também por Salgueiro e Arcoverde, em Pernambuco.

Onde eu parava pedia para experimentar o que tinha de bom. E foi um festival de queijo de coalho, baião de dois, carne de sol, tapioca e paçoca. Comi demais. E que comida boa. Enche a boca. Sem falsas promessas.

Trouxe de lá feijão de corda e cajuína, um refrigerante famoso na região, feito, como diz o nome, de caju (foto). Vou tentar fazer um baião de dois essa semana, com carne de sol no melado acompanhando. Será um teste. Se ficar bom, prometo fazer para batalhão e comunico todo mundo para ir ao Sol.

Também trouxe um “Padim Padi Ciço” para ficar lá no Café. Olha ele na banca atrás de Nossa Senhora Aparecida.

Por fim, agradeci ao próprio Padim a estadia, em visita ao seu monumento na colina. (A contraluz é fruto da inexperiência da senhora que me captou.)

 


30 mil

Hoje batemos 30 mil visitas desde quando este espaço foi criado.

Em conta aproximada, temos uma média de 75 visitas por dia desde a abertura do café, em novembro de 2009.

Porém, se pensarmos que esse blog foi criado três meses depois de aberta a casa, este número é mais relevante ainda.

Obrigado a todos que nos acompanham! Estamos orgulhosos.


Cucurbitaceae

 

Quem comeu as iscas de peixe com sardela, comeu. Acabou o estoque.

Ontem testamos um escondidinho de abóbora com camarão, outro com carne seca. Ambos ficaram um barato. A abóbora, que para os compatriotas do norte é Jerimum, é muito generosa.

Sempre de olho nas plaquinhas de mesa, pessoal. Para lá vão as criações da nossa cozinha. Cada vez mais fanfarrona.


Pra cima

Sexta-feira, teremos a volta da GBB no Café do Sol!

Tem música nova no pedaço.

Até lá.